as eleições, a escola, os professores

seria tema para mangas, diferentes teses de doutoramento e artigos de opinião; procuro ser contido;

os professores e as políticas educativas - entre expetativas e ansiedades - deram uma maioria ao ps de Sócrates, penalizaram essas políticas, mais pelos meios que se assumiram mas não só, e viraram ao lado, à direita, na esperança de se encontrar um salvador pela exigência e pelo rigor

hoje, 15 anos passados sobre a maioria socialista que conduziu Lurdes Rodrigues ao poder e 4 de Nuno Crato, os professores estão assim a modos que... órfãos;

órfãos por não se ter um espaço de reconhecimento e assunção;
por não existir um espaço de identificação profissional e ideológica;
pelo medo de quem se sentiu duplamente traído;
pela falta de expetativas que permitam e concebam outra organização à escola;
pela sobrecarga de trabalho, de exigências e de moengas que tudo consome;
pela falta de futuros;

e não há nenhum partido político com capacidade de reinventar a escola e a educação?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

em pausa pedagógica

de regresso

a sociedade na sala de aula