sobre a frescura dos comportamentos

sou diretor de turma de um grupo de 7º ano;

19 alunos, dois com alguns cuidados especiais; 11 já ficaram retidos pelos menos uma vez; 3 deles estão a repetir o 7º pela... 3ª vez;

são miúdos frescos nos seus comportamentos, já conhecem limites e limitações da escola e da sala de aula, dominam estratégias de negociação com os profes, conhecem os profes à distância, do que são capazes, até onde vão, o que podem contar;

os pais, melhor, as mães, não sabem o que fazer e sentem-se claramente incomodadas quando ligo; sempre me atenderam ou me devolveram a chamada; sempre se mostraram disponíveis para falar, mas também sempre me mostraram as suas dificuldades em fazer diferente, em alterar os comportamentos (e, em particular, as atitudes);

vai daí e estão atulhados em participações disciplinares, em reclamações e queixinhas;

tenho de fazer alguma coisa se não sei que sobra para mim, dum lado e do outro;

proposta, pensar diferente, fazer diferente
criar um projeto individual de reflexão, tipo elaborarem o seu portefólio e refletirem sobre ele;
as disciplinas participarão de acordo com as competências de cada uma delas, em função do seu objeto e dos seus objetivos (ou domínios) por intermédio da escrita e da oralidade, do recordar processos, do descrever contextos, do relacionar ideias ou conceitos, etc;

resultará? não sei, talvez sim, talvez não, uns dias melhor outros nem por isso; mas há que experimentar;

Comentários

Mensagens populares deste blogue

o envolvimento do aluno

militância

Fomos ao teatro