o estado da educação



primeira nota, coisas do senso comum;

pergunte-se a docentes como acham a educação e a escola; irão prevalecer ideias em torno da hiper burocracia, descontrolo, desnorte, desorientação, perda de sentidos, excesso de trabalho, excesso de turmas, excesso de alunos, excesso de solicitações, diretores arbitrários e descricionários, falta de sentido ao trabalho escolar e pedagógico, pouco, muito pouco o tempo para o aluno;

pergunte-se a alunos com está a escola, e ouvirão dizer que a escola tá fixe, as aulas é que são uma seca, não há projetos, ideias de escola nem de sentidos quanto ao trabalho que se desenvolve na escola; a escola, para a maioria dos alunos, é local de encontro, ponto de brincadeira, centro de convívio - não é um local de trabalho, nem de esforço;

perguntem aos pais o que acham da escola, está pior que no seu tempo, os professores ensinam menos, os alunos sabem menos, há um maior laxismo, um maior facilitismo, uma maior desorganização;

perguntem aos funcionários e não estarei muito longe se responderem que nem fazem ideia, que já nem sabem o que ali andam a fazer, empurrados de um lado para o outro, armados em tapa buracos, guardiões de filhos alheios, a ouvirem das boas quer de alunos, quer de pais, quer de professores;

mas pronto, saiu mais um relatório, relata o estado da educação no ano passado;

resumo resumido da minha pessoa que ainda não o li, tá giro, tá...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

o envolvimento do aluno

militância

Fomos ao teatro