sem vínculo

Uma colega, à volta da camila, dizia que se sentia cansada, a sossobrar no ânimo, que a escola já não se vivia

Que aquela não era a sua escola;

Entre dois dedos de uma conversa tão rápida quanto um curto intervalo, nos apercebemos que perdemos o vínculo à escola, que falta militância, isto é, vida à escola e à profissão docente;

Que antes, em tempos, o informal permitia resolver problemas, que proporcionava vínculos afetivos e que, com isso, alimentava a militância de se ser professor naquela escola;

Hoje, as regras da formalização, a confusão criada e exercida entre formalismos e profissionalismo cria distâncias entre as hipóteses e as soluções, isola pessoas e seca as emoções de sermos professores;

 ser professor já não é um prazer, mas uma obrigação, uma função - funcionalizou-se não só uma profissão que muito tinha de espírito, como a ação de se ser professor...

Os apertos que os professores têm sentido e sofrido, ora de políticas educativas neoliberais, ora de diretores mais papistas que o papa tem sido como eucaliptos, secam tudo em seu redor

Incluindo as emoções de se ser professor...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

o envolvimento do aluno

militância

Fomos ao teatro