Porra

Não costume fazer ouvidos moucos ao que se diz em sala de aula, nem fingir que não vejo o que acontece;

Uma aluna solta um porra, que se lixe - e não foi propriamente ao ouvido de colega, ouviu-se "loud and clear";

Chamo-a à atenção, e com toda a estupefação de surpresa, pergunta-me porquê, porque a advirto e a repreendo;

Lá lhe digo que não é preciso correr, pode ir a andar uma vez que estamos no Alentejo e a coisa faz-se devagar;

E pergunta, repetindo, mas porra é palavrão?

Até pode não ser, se em casa assim lhe o ensinaram, mas como exijo linguagem formal (porque escolar e porque em sala de aula) não lhe permito esses desvarios;

São estas pequenas situações, estes "incidentes" que se não forem corrigidos em tempo se tornam comuns e se passa a aceitar o anormal como normal,

Daqui a pouco estamos no tu cá, tu lá - tábém tá

Comentários

Mensagens populares deste blogue

o envolvimento do aluno

militância

Fomos ao teatro