quem não quer aprender

volto a uma temática que me dá a volta ao espírito, tentar ensinar quem não quer aprender;

tenho uma turma, que vem do ano letivo anterior, marcada por uma significativa indiferença, alheamento e um não querer saber de nada, que incomoda, que irrita, que faz com que aquele tempo em sala de aula seja assim a modos que... nunca mais passa

pensei ser comigo, face a uma outra metodologia de trabalho, à configuração de outras estratégias de sala de aula; dei tempo ao tempo; nada;

percebi que não era só comigo, praticamente todos os docentes do conselho de turma indicam as mesmas situações, total e completa displicência, (quase) total indiferença;

contudo e de um ano para o outro, dá para perceber o jogo que é feito por uns quantos; indiferentes, alheados, displicentes mas com resultados qb, dois ou três níveis inferiores a 3, nada de monta, nada que não seja recuperável no médio prazo, com um outro empenho, com uma outra atitude;

e a minha questão é, como trabalhar com alunos assim? alunos que não querem, que mostram indiferença, que estão noutro lado, que não têm objetivos? mas têm notas?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

o envolvimento do aluno

militância

Fomos ao teatro