Leituras e culturas

Ando a (re)ler um titulo de M. Castela (a galáxia internet, 2001), com a perspetiva de (re)lembrar lógicas de organização em rede, conceitos de cultura e modos de interligar diferentes pontos de uma rede, ou de uma malha constituída por muitos e diversos pontos, tal como a escola e as lógicas que pressupõe neste novo século;

Retiro duas ideias, uma em redor da complexidade, outra das culturas partilhadas;

Afirma Castelos que as redes permitem a gestão da complexidade por intermédio do que ele designa de perplexidade informada, isto é, flexibilidade, autonomia de cada nó, coordenação descentralizada e remota; implica que cada nó da rede tem uma dinâmica própria, onde a interligação entre eles se processa por intermédio da cultura que os une e identifica;

Por cultura entende um conjunto de crenças e valores que formam o comportamento; traduz-se nas práticas organizacionais, na construção coletiva das atitudes das pessoas que pertencem a uma organização;

Será que dá para perceber a dimensão do projeto de intervenção que apresento? Será que perspetiva o trabalho que uma organização com diferentes pontos implica?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

o envolvimento do aluno

militância

Fomos ao teatro