ilhas

a escola portuguesa é um conjunto disperso de ilhas; pelo menos é essa a sensação que tenho;

dificilmente, pelo menos pelo que me toca e por aquilo que conheço, são ilhas dispersas, soltas, longe, muito longe de se constituírem como um arquipélago;

regiões insulares e isoladas, distantes e individuais;

pouca conversa entre elas, pouco, incipiente e algo ineficaz conhecimento entre elas, conhecimento de dinâmicas, de processos, de ações, de projetos, de problemas como de soluções;

cada qual está para seu lado; cada qual pensa o melhor de si, por que se olha ao espelho e se pergunta quem é a mais feliz; os outros as mais feias, por que são sempre os outros os culpados;

é pena, seria útil uma qualquer ferramenta que permitisse interligar escolas, partilhar ideias e circunstâncias (não digo nem problemas nem soluções, apenas ideias);

convém a alguém que se continue distante, isolado, que se mantenham as ilhas; porquê? para quê?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

militância

sobre a flexibilidade

balanço