e no meio

no meio da flexibilidade curricular, do crescente papel (e protagonismo) municipal na educação e na escola e eu pergunto, quem une os pontos?

as estruturas desconcentradas do ministério da educação, as ainda conhecidas como direções regionais, estão vazias (de poderes e de pessoas) desde há coisa de 4 ou 5 anos a esta parte;

quando existiam não existia diretor que delas não dissesse mal (controleiros) e público que nãos as apontasse como espaço de boys;

desde que entraram em esvaziamento que alguns sentem a sua falta, face ao vazio, uma vez que a escola fica entre pontas, o micro local e o macro sistema educativo,

no meio, nada

quem regula o regional (ou não é necessário?), lê e interpreta indicadores regionais, processa a articulação de redes, a formação de parcerias, dá voz nos conselhos municipais de educação;

aparentemente tudo aponta para que as ccdr's venham a ser protagonistas do processo, mas, até lá e durante este vazio, estão por sua conta e risco, o único elemento de regulação externa circunscreve-se à inspeção ...

é curto, é escasso, penso que faz falta algo no meio, entre o micro e o macro, que estabeleça pontes, una os pontos - senão caímos no atomismo escolar, cada um por si e salve-se quem puder...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

militância

sobre a flexibilidade

balanço