o tempo

em particular desde o ano passado que sentia que o tempo que andava a dar para o desenvolvimento de trabalhos era algo excessivo;

tenho organizado as tarefas em face de um planificação de conteúdos - uma metodologia direi algo tradicional, como muitos farão;

contudo, a dinâmica de trabalho dos alunos levava-me a verificar que o pessoal deixava para o final a concretização do trabalho; tanto que me levou ainda o ano letivo passado e já este, a criar outras estratégias que permitissem envolver o aluno de oura forma - tarefas à sessão, produtos complementares, ações específicas e pontuais;

no final deste ano e a trabalhar com turmas em início de ciclo, vá de experimentar alternativas;

conteúdos complicados, o tempo do castelo local - afinal qual o papel, as funções e o interesse do castelo;

implica partir do presente e ir atrás, pesquisar e, o mais importante, criar relações que não estão disponíveis no dr google, nem na wikipédia, nem de forma simplista por aí, à flor de teclas;

tempo de trabalho, duas sessões, apresentação na terceira;

e não é que resultou;

se fosse por uma planificação mais tradicional, ficaria entre 3 a 5 sessões; menos tempo deu empenho, vi entusiasmo, curiosidade, partilha com pais e mães na procura de respostas, na construção de respostas;

interessante; valeu o tempo

Comentários

Alexandre Henriques disse…
E agora vou para uma aula fazer exatamente isso...

Mensagens populares deste blogue

o envolvimento do aluno

militância

Fomos ao teatro