notas de final de um ano

no final de quase todos os anos letivos não me deixo de surpreender pelo papel que os papeis, grelhas ou outros, referentes às medidas de promoção do sucesso, fazem perante aqueles que visam;

habitualmente são preenchidos no final do 1º período, por via do número de níveis inferiores a três que os alunos obtêm; por onde tenho andado, consistem em colocar cruzes nas pretensas dificuldades do aluno e mais cruzes nas medidas de apoio propostas (algumas nem funcionam); mais cruz menos cruz tudo é igual para todos, uniforme a todos (fazendo-me lembrar os comprimidos que nos davam na tropa, eram os mesmos, independentemente das queixas);

são papeis, nunca consegui perceber qual a sua finalidade - a não ser aquela mesma de impingirem aos docentes formas de pensar na/a sua ação; na generalidade são preenchidos qual totobola, mais conversa menos conversa, mas sem grande rigor nem preocupação - que vá além da administrativa;

o certo é que, mais cruz menos cruz, dão um resultadão; ele é ver e apreciar a recuperação de cada aluno, como se passa de 8 ou mais níveis dois no final do primeiro período, para um ou dois ou, vá lá e quanto muito, três níveis dois no final do ano;

e passa;

e depois ainda há docentes que dizem que a avaliação é futurologia; qual quê, rigor absoluto, basta fazer uma grelha...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

o envolvimento do aluno

militância

Fomos ao teatro