coisas de férias

em férias devia estar mas é de papo para o ar, se não a apanhar sol, pelo menos a desfrutar do nada para fazer;

mas não, terminei a pausa pascal ontem, domingo e hoje já estive de volta de dinâmicas, conteúdos, problemas, estratégias e planificações;

mas estou por opção, não por obrigação;

vem isto a propósito do dossiê que o jornal público criou e que, de quando em quando, retoma, para malhar não sei em quê, nem com que objetivos ou quais as suas intenções (políticas? pedagógicas? familiares? sociais?...) - existirão para lá pais ou mães assoberbados com a coisa? traumatizados com a coisa? não sei, mas ficam as questões só para lembrar;

por mim que nem sequer durante o ano mando trabalhos para casa, considero que o trabalho é em sala de aula que se faz e é para isso que serve, considero que tudo o que é demais cheira mal;

como também já aprendi que há coisas más (ou ruins) que fazem falta, podem ser úteis - se não em si mesmas, pelo menos pelos motivos que motivam a sua conversa, que desencadeiam análises, que promovem a troca de ideias, a conversa ou simples e mera discussão - por exemplo, os exames, por exemplo, os trabalhos de casa;

assim, não sendo a favor de trabalhos de casa, tenho de reconhecer e assumir que poderão (eventualmente) ser úteis - mais não seja se integrados em dinâmicas de sala de aula;

mas que é um dossiê que não percebo, lá isso é - servirá para quê? a quem?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

militância

sobre a flexibilidade

balanço