indiferença

não sei se é geral, não quero cair em excessos, mas a indiferença grassa por aí;
a indiferença não mata, mas mói, devagarinho, subtilmente, de forma insinuosa;
nota-se nas conversas da sala de professores, sempre descomprometidas, sempre inócuas;
nota-se na participação em seminários e encontros pelo (reduzido) número de inscrições - como se estivéssemos fartos;
nota-se pelas posturas que olham de lado e se sentem descomprometidos do que sucede ao nosso lado;
nota-se pelo silêncio que grassa nas palavras que não se dizem em comentários que não se fazem, em observações que não se comentam;
nota-se pelo silêncio em reuniões, pelas banalidades e vulgaridades que se dizem em conversa de café ou de meros encontros;
nota-se pela atenção que o tempo nos merece, como se não houvesse tempo para mais;
notas-se nos índices de abstenção que por aí se registam como se não valesse a pena;
a indiferença mata

Comentários

Mensagens populares deste blogue

em pausa pedagógica

de regresso

uma questão de poder