Coisas da liberdade (e da responsabilidade)

Mediante o trabalho de projeto que desenvolvo em termos de sala de aula, apoiado na resolução (orientação) por problemas, este terceiro período optei por trabalhar a autonomia do aluno;
Dei conta de conteúdos, apresentei regras de trabalho e critérios de avaliação e não defini datas nem sequer um calendário, nada, nem mesmo um ou outro marco; todo o calendário de procedimentos ficou a cargo do aluno, fossem trabalhos,  realização de fichas ou processos de análise;
Passadas quase três semanas de aulas deste 3º período:
Uns marcaram datas, definiram marcos de orientação - a generalidade não cumpriu - e já se procedeu à sua revisão;
Outros, sem datas definidas, optam pela apresentação do trabalho acabado, fora de tempo, caído do céu - também já enquadrados nos critérios de avaliação;
Um aluno, há pouco, deu-me conta que é liberdade a mais (sic) e solicitou que lhe indicasse umas quantas datas para que se oriente - ele e outros já foram orientados mediante duas balizas, a do final de ano, a de avaliação intercalar;

Comentários

Mensagens populares deste blogue

em pausa pedagógica

de regresso

uma questão de poder